"É na escuta que o amor começa. E é na não escuta que ele termina. Não aprendi isso nos livros. Aprendi prestando atenção".
Rubem Alves

Escola Casa da Infância

Alimentos para o Corpo, a Alma e o Planeta

Certamente para todos os que convivem ou conhecem a Casa, o momento das refeições é repleto de beleza e encanto! Garantir a participação das crianças desde a plantação na horta, a preparação dos alimentos, passando pela arrumação da mesa até o momento em que vemos as crianças, mesmo as menores de um ano, tendo contato com os alimentos de forma autônoma é, para nós, a revelação e a construção diária de muitos dos nossos princípios.

A escolha dos alimentos que serão oferecidos, o cuidado com o momento de estar juntos partilhando de um momento vital e de tantas descobertas, a alegria das cores e sabores, a beleza dos olhares, das trocas, dos pedidos... São conexões que se estabelecem entre os presentes mas, sobretudo, com todo o ciclo da vida, do crescimento, da coletividade. E que vão muito além de uma escolha de alimentar apenas o corpo, alimentam a alma!

A escolha por alimentos saudáveis, orgânicos, produzidos por pequenos produtores, não visa apenas a saúde individual, pelo consumo de alimentos mais nutritivos e sem agrotóxicos. Estes certamente são benefícios de uma grandeza imensa, especialmente num mundo defast food, repleto de produtos industrializados com altos índices de conservantes, de sal, açúcares, mas traduzem, acima de tudo, uma escolha política pelo meio ambiente e sustentabilidade do planeta, bem como por relações sociais e comerciais justas.

Buscamos fornecedores que sejam também produtores, alimentos que venham de agricultura familiar, agroecológica e da Economia Solidária. Um dos principais objetivos é estabelecer relações justas entre nós, consumidores, e os produtores, minimizando a intermediação de grandes empresas, reduzindo dependências econômicas. 

Desta forma, princípios que nos inspiram em nossa relação com a infância, da promoção de autonomia, liberdade, da construção de relações e vínculos significativos, num processo de crescimento coletivo, estende-se, também, para aquilo que consumimos. Temos convicção de que, quanto mais consciência tivermos, não só da qualidade dos produtos em si, mas das relações estabelecidas, incluindo as comerciais, estaremos alimentando nosso corpo, nossa alma, nossos semelhantes e nosso planeta.